terça-feira, 30 de março de 2010

Pergunta de criança...

Prostrada no sofá, eu assistia hipnoticamente ao penúltimo dia do BBB. Minhas filhas estavam na sala também. De repente entrou o texto e áudio com a advertência da Globo (por imposição do Ministério da Saúde), explicando como se pega Aids. A voz enfática disse: “através de sexo vaginal, sexo anal e sexo oral”. Gelei, contei até cinco e saí do meu estado apático. Tinha certeza de que não seria preciso mais do que cinco segundos para minha filha Carina – perguntadeira de plantão – lançar o constrangimento no ar:
– Mãe, o que é sexo oral?
Ai, ai, ai... Ferrou... (Pra não dizer outra coisa.)
– Filha, você é muito nova pra eu te responder isso.
Não acreditei que havia dito tamanha sandice. Logo eu, que sempre fui contra meias-palavras com crianças. Mas como explicar a uma menina de oito anos o que é sexo oral?
Minha filha de 12 anos, Milana, que finge que não sabe nada, mas pensa que sabe tudo, fazia ar blasé deitada no outro sofá.
Depois de Carina me perturbar mais umas três vezes com “Vai, mãe, fala o que é sexo oral!”, sem obter resposta, decidiu mudar de vítima:
– Mi, você sabe o que é sexo oral?
– Sei não, Carina...
Achei melhor me levantar e ir à cozinha, pra ver se o assunto morria. Mas ainda deu tempo de ouvir Milana sussurrando pra irmã: “Sexo oral é quando a gente fala palavrão.”
Aiiiiiiiii, aí já era demais. Voltei pra sala decidida. Não gosto de ver minhas filhas passando por bobas.
– Olha só, gente. Não é nada disso. Sexo oral não tem nada a ver com dizer palavrão.
Elas viraram os pescoços subitamente e me metralharam com os olhos. Queriam a resposta certa a qualquer custo. E, conhecendo a mãe maluca que têm, sabiam que eu ia dizer. Disparei:
– É simples. É fazer sexo com a boca!
– Ecaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! – gritou Carina.
Milana ficou calada. Acho que preferiu não alongar o assunto comigo, uma relés mãe. Certamente iria deixar pra debater o tema no dia seguinte, com suas amigas da escola – estas sim, as fontes mais confiáveis das adolescentes.
Eu sabia que não tinha explicado decentemente. Talvez as tivesse confundido até mais. Ainda assim, não podia deixar minhas filhas acharem que era algo ruim. Então respirei fundo e continuei:
– Não é eca não. Vocês são muito novinhas pra entender, por isso que eu não quis responder. Mas quando duas pessoas se amam e já são grandes, não é eca coisa nenhuma!
E parei por aí, mudando logo de assunto. Falar mais do que isso agora não dava, né?
Sexo é bom, é ótimo. Mas tem umas coisas meio eca mesmo que não dá pra explicar. Só dá pra experimentar no tempo certo. E gostar.
Um dias minhas filhas vão entender isso... Mesmo meu marido insistindo que elas vão permanecer virgens para todo o sempre!

15 comentários:

Tatiana Maia Lins disse...

Pelo menos a perguntadeira não perguntou: "tem gosto de que"? ou "mãe, você e papai fazem isso?"
hahahahahahaha

Fernando Freire Jr. disse...

Caraca, Ana! Hilário (a situação), genial (a sua saída) e absolutamente didática e correta a sua resposta! Principalmente ao dizer que "Não é eca coisa nenhuma", não deixando a menor dúvida de que sexo não é nojento nem feio, apenas cada coisa tem sua hora! Uma psicóloga não teria se saído melhor!
Muito melhor do que aquele pai que, quando o filho de 7 anos perguntou "De onde eu vim?", saiu entregando tudo com detalhes. No final o filho estava com os olhos arregalados e só conseguiu falar: "Só perguntei, pai, porque lá na escola tem um menino que veio de Itaboraí..."
Beijos! Amei!

TBrigada disse...

complicado! Mas você se saiu bem mesmo... Essa fase de crescimento, de novas dúvidas, principalmente em relação ao sexo, nossa, deve ser terrível para um pai e uma mãe. Eu nunca fui de perguntar nada para os meus pais... Me passei muito por bobo e tolo na vida já hahahaha

Raquel Maldonado disse...

Eu sempre perguntei tudo, hahaahha
E meus pais sempre responderam tudo!
Bom, aí Ana vc pensa; a Raquel seria um tipo de filha legal? se sim... Suas filhas tb vão ser, rs

bju lov u

Essas coisas de mãe!

MISS TALBET disse...

To achando que saiu barato essa estoria. Poderia ter um desfecho muito pior se a fofita continuasse perguntando mais detalhes...Mas vc se saiu super bem e o texto otimo. Vc domina esse tamanho e ritmo de blog hein menina? <3

Roger Gorini disse...

Porra, Ana! Que probleminha fácil de resolver e vc toda enrolada, gaguejando... era só citar a vida do papai e da mamãe, oras! Meninas, no começo do meu casamento com seu pai, tinha sexo oral, de hora em hora... agora, dpois desse tempo todo, é sexo anal... de ano em ano! Quanto ao Romito achar que elas vãoser virgens para sempre, isso é somente uma ilusão de caras como nós, descabaçadores notórios que papai do céu premiou com filhas.....

Fox disse...

Pô Ana... perguntinha difícil!!! Ainda bem que minhas filhas não fizeram a pergunta para mim... ainda....

Fox disse...

Fox sou eu tá????

Cláudia Lima disse...

Aninha, essa foi ótima!!!!!!!!!!!!!!
Vc não achou que ia escapar né?
Vou indicar para os amigos com filhos em fase complicada! rsrsrsrs
Amei!

Bjs

Aline Radialista disse...

hahahaha, "sexo verbal, não faz meu estilo. Plavras são erros e os erros são seus. Não quero lembrar que eu erro também". Mandou bem, Ana. O entendimento vai chegar na hora certa, mesmo que elas tenha a explicação acerca do assunto tão cedo

Flávia Côrtes disse...

hahahahaha! Se saiu bem, Ana... Também passo por esses apertos com as minhas. O segredo é aparentar calma e confiança, por mais que a gente esteja "freaking out" por dentro...
(Não encontro em português uma palavra com a intensidade da minha piração. Bjs

Mattosquela disse...

Ficou ótimo Ana! E tá bombando de comentário heim!no

Hahaha! Achei otimo vc ter dito a verdade... é a melhor forma!!!

Talvez a caçula até confie mais em vc que nas amigas, por estar aprendendo isso contigo!

Beijos

Paulo disse...

Oi Ana, prepare-se para a próxima pergunta que não deve demorar: O que é sexo anal? Respostas para a redação?

um beijo

Fabio Bastos disse...

Ana

A turma aí de cima já disse tudo, a pergunta era difícil e vc mandou bem. Só espero que quando a menina descobrir o que é realmente concorde com vc.

Bjs
Fabio

Safira disse...

Rá, rá, rá, rá, rá, rá, rá!!!!!!!!!!!!! Minha irmã é assim mesmo, pergunta cada coisa! E o pior é que eu me esquivo e digo que não sei de nada, e ela vai logo perguntar pro meu pai!!!
Tá HI-LÁ-RIO!!!!
Beijokas 1000000