quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

De volta às aulas

Nunca achei que pudesse ser tão doloroso... Tanto tempo parada... As máquinas evoluíram, o ambiente agora tem ar-condicionado. Para entrar, tenho que digitar uma senha. E, para que eu pudesse iniciar as aulas, tive que primeiro ser avaliada por um professor. Mas, em vez de me passar uma prova escrita, ele tinha em suas mãos um estranho aparelho que beliscava minhas dobrinhas.

Para piorar a situação, o professor achava que tinha mais de uma pessoa na sala me avaliando. “Nós vamos estar te fazendo algumas perguntas.” Nós quem, cara pálida? Doeu mais ainda em meus ouvidos quando constatei que, em vez de erudição, só saía de sua boca frases de telemarketing: “Agora estaremos medindo sua coxa. Agora estaremos verificando sua postura.”

Ué, coxa, postura? Que escola é essa??????

É, pessoal... Beirando os 40 anos, estou de volta às aulas... numa academia! E é tudo muito estranho... Acho que desde a adolescência não freqüentava uma sala de musculação. Mas, da mesma forma que minha mente tem sede por conhecimento (fico devendo a vocês relatar como foi, no ano passado, minha volta à faculdade), meu corpo tem fome (e que fome, meu Pai!) em voltar a ter um corpo, digamos assim, apreciável. Foi uma fome descontrolada que me fez chegar aonde estou quando subo na balança (não digo meu peso nem sob tortura!). E agora tenho que lidar com a fome, com a ânsia, com o desejo de poder voltar a usar uma calça jeans com blusa justa sem que me dêem o lugar no ônibus para eu sentar. Mas, como nada acontece por milagre, o jeito foi me matricular nessa escola que promete moldar o corpo em 12 lições.

Só que, como disse na primeira frase, nunca achei que pudesse ser tão doloroso... No primeiro dia (ontem), fiz 30 minutos de esteira e uma hora de aula de... IOGA! Acredite: sofri mais na aula de ioga do que na esteira. Meu corpo enferrujado não conseguiu aceitar os comandos da professora que nos pedia para esticar, torcer, alongar... Achei que fosse sair da aula com um nó no corpo todo. À tardinha, já comecei a perceber que minhas pernas, sobretudo os glúteos, estavam doloridos. Tudo culpa de uma simples aula de ioga...

Hoje fiz uns 35 minutos de esteira e estreei minha série de tortura, digo, de musculação. Me senti ridícula naqueles aparelhos. No meu entorno, só via homens e mulheres com corpos sarados e roupas de ginástica da moda. E eu com um shortinho de cotton e uma blusa de malha larga. Francamente!!! Paguei muito mico... Não sabia entrar nem sair dos aparelhos e o professor me olhava com cara de pena, como se estivesse lidando com a avó dele.

Fui embora da academia tendo feito apenas a metade das repetições da minha série. Mesmo assim, já na escada de saída, percebi que havia algo errado com minhas pernas. Elas não obedeciam ao meu comando. Pareciam rochas trêmulas. Se é que existem rochas que tremem... Mas era exatamente isso o que eu sentia: pernas pesadas e vacilantes. Cheguei em casa varada de sede (ainda bem que não era de fome) e fui direto abrir a geladeira. Pra quê... O simples esforço de abrir a porta me fez lembrar que meus braços tinham músculos, agora imensamente doloridos. Bem, pelo menos isso irá evitar que eu ataque esse depósito de guloseimas ao longo do dia de hoje.

É, querido leitor... Você não sabe o esforço que estou fazendo pra escrever este post... Até meus dedinhos doem. (Espero, então, que você reconheça o meu sofrimento e deixe um comentário pra mim.) Faço isso, porém, porque quero deixar aqui registrado que posso vir a me tornar uma quarentona daqui a 19 dias, que posso estar acima do peso que já tive até mesmo quando estava grávida, mas sou brasileira e não desisto! Quero (e preciso) fazer as pazes com o meu corpo se quiser chegar aos 50, aos 60, aos 70... E se para isso tenho que passar por sessões pagas de tortura, vamos lá!!!!

Como diria o velho Paulo Cintura nos anos 80 (época em que eu adorava ir à academia): içaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!

15 comentários:

Carol disse...

uhuuuullll isso ai!!! entrando na academia para ficar mais gostosa!!!! Eu começo a minha amanhã, e confesso, já estou sentindo as dores que logo virão! Mas o próximo verão vai chegar tão rápido que não posso me dar p luxo de deixar para depois!
Esse corpinho psedo - esbelto que todos veem e acham que eu tenho só é possível por causa do melhor invento da moda a BATA! todas as minhas roupas são assim!! Mas no verão de 2010 usarei short e top! hahahahhaha
beijos dinda, para a gente muita força e dorflex para aguentar a tortura psicológica (com sarados e saradas ao nosso lado) e a tortura alimenticía (com a kuffura ao seu lado!!!)

Jr disse...

Ri muito, parece que estou vendo vc falando, achei muito criativo, e parabens pela disposição de encarar essa garotada na academia.
Mais uma etapa sendo vencida !!!
Vais ficar um filezinho..hehehehe

Bjs
Jr

Tati disse...

Força, Aninha!!!
Quem foi que disse que aula se Yoga é "boba"? Caramba, aquilo mexe com tudo, dá até vontade de chorar! Eu não aguento nem a de alongamento direito, quanto mais a de yoga...
Para mim o pior quando entrei na academia no ano passado foi a aula de jump. Eu nao conseguia sequer me equilibrar direito na cama elastica, e ainda tinha que ter folego e coordenação motora. Não fiquei 15 minutos e literalmente peguei o meu banquinho e sai de fininho. Voltei para casa nesse dia passando mal, aos prantos mesmo. De desespero, de falta de ar, de sensação de que era um ser vindo de outro planeta e deixado para trás, uma inferioridade da peste! Mas foi bom também que me descobri poderosa no spinning e isso me deu gás para continuar na academia um tempinho.
Tomara que vc encontre logo algo que te dê prazer para diminuir a sensação de tortura! BEIJO!

Cláudia disse...

Minha querida,

Poucas vezes li palavras com as quais me identifiquei tanto!!! Por que será que é tão difícil isso de começar (ou pior, recomeçar)qualquer coisa, especialmente quando se trata do nosso próprio corpo?

Fiquei animada com o seu pique. No momento estou com intoxicação alimentar - fui comer no Burguesão da UFRJ e me dei mal!
(berinjela, toda fritinha, bem feito para mim, né?) Mas deixa passar a febre que eu vou ver se tomo coragem para voltar a caminhar, hábito que me fazia tão bem e que eu abondonei com tanta facilidade. Deve ser porque, além de tudo, o exercício era de graça... Será que temos que pagar - money mesmo - para conseguirmos nos ater a qualquer coisa?

Bem, te dou notícias. Por enquanto, te desejo força na peruca, que a gente sabe que os resultados vêm logo. No dia no seu niver, você provavelmente já estará mais disposta e mais vaidosinha.

Adoro te ler!
Beijos,
Cláudia Marcanth Barros da Silva.

Nadia Pinkerton disse...

Oi Ana, parabéns pelo seu progresso! Continuo fã da sua forma de escrever que flui enquanto lemos sem que percebamos quando o texto chega ao final e nos deixando com gostinho de quero mais!

Beijo
Nadia

Nadia Pinkerton disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Nadia Pinkerton disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sarcosa disse...

É, Ana, eu tô adiando a academia há um tempo... quero perder 10 kg, só na barriga, pq é só onde tenho excesso hehehe

vamos ver se me animo com essa tua desanimação ;)

Maria Teresa disse...

Minha querida,
mais uma vez você coloca seu "sofrimento" (físico ou não) de maneira gostosa e leve como, tenho certeza, você estará em breve.
Não desista!
Beijos
PS: Como já passei dos sessenta, começo hoje na hidroginástica e
sei que sofrerei muito mais.

Glória Britho disse...

Amiga, fique com a minha solidariedade !!! Quanto a bata, é maraaaa! No stress, dear, Deus é pai e você logo estará uma sílfide (tá me ouvindo rir, danada?). Sacanagens a parte, legal mesmo é aumentar a disposição e sentir o corpinho ágil para ... tudo, né meu bem?
Beijosss e até amanhã!

Fernando Freire Jr. disse...

Eu admiro muito a sua força de vontade! Desde minha adolescência que eu desejo um corpo musculoso, mas nunca venci a inércia e comecei realmente a trabalhar nisso. Mas você bem sabe que não posso reclamar porque sou um privilegiado no quesito gordura corporal. De qualquer modo preciso cuidar mais da minha saude e pensar como você, afinal em dois anos terei 40. Essa vida de beber no mínimo dois litros de Coca-Cola por dia precisa ter um fim! E meu cuidado precisa ser dobrado, porque eu tive a crise dos trinta e algo me diz que a dos quarenta será pior... Ô vaidade que me corrói! Força, Aninha! Estou aqui caso você precise de uma ajuda para se "reidratar" após a malhação! Beijão!

Cláudia Lima disse...

Amiga, me sinto como vc! Cheia de dores e reflexões na cabeça (as flexões só sexta!). Mas é isso aí, desistir NUNCA!
MAlhe, malhe, malhe (no sentido mais amplo da palavra!).
Bjs

Ana Cristina disse...

É isso aí, Ana!!! Mete bronca!
Mesmo com toda essa tortura, vc tem a seu favor a tal da memória muscular (pergunte ao seu Prof. de musculação). Vc sempre foi atleta!
Então mãos à obra!
Corpo são, mente sã!
Iurru!
Parabéns e FORÇA nas pernocas!!!
:))))

georgia cabecos disse...

UhuUUUUUUUU!!!!! Continua firme mulher!!!!! Rumo a gostosura!!!!
Bjs

Patrícia disse...

Li de tudo um pouco. Lembrei de ter conhecido a Martha, naquela pizzaria lá na tijuca que servia até pizza de estrogonofe. Cruzes!

Legal o lance da academia! Manda ver nos aparelhos e fecha a boca (sem muita tortura) pra alcançar mais rápido o seu objetivo. Adorei o "içaaaaa". Tinha me esquecido dessa figura.
Te cuida, Rômulo. Tua mulher tá querendo ficar mais gostosa do que já é.