terça-feira, 28 de setembro de 2010

Eleitos pelo povo

Janeiro de 2011. Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Cerimônia de posse dos deputados estaduais eleitos.

Na primeira fila, estão sentados aqueles que vieram botar pra quebrar: Loura Braço Forte, Robson Vandamme, Arlete Karatê, Fernando Paulada, Mano Dirigindo a Luta, Hugo Camburão, Hilda Furacão, Fausto 100 Por Cento e Eu Faz.

Espalhados em pontos estratégicos, para semear a concórdia na Assembleia, encontram-se os deputados mais paz e amor: Peçanha Amigo de Todos, Nilson o Abençoado, O Gente Nossa, Marcos Manso, Lucílio Pobre Ajudando Pobre, Lima do Bem, João Família, Giba Sangue Bom, Coca Amigo da Comunidade, Carlinhos um Homem de Deus, Broder e os barbudões Maluco Beleza e Papai Noel.

Gratificante é ver a diversidade de classes trabalhadoras que conseguiu eleger seus representantes. Os vitoriosos Cícero Camelô da Central, Dabi Baleiro, Hugo Pipoqueiro, Damião Mecânico, Chico Borracheiro, Didi Caminhoneiro, Fabio do Táxi, Claudioci das Ambulâncias, Marcone da Kombi, Baixinho do Gás, André Pescador, Ana Copeira, Alamir Artesão do Vime, Betão do Saneamento, Didiu Jornaleiro, Isabel da Limpeza e Jonas da Reciclagem são alguns exemplos de que o povo – o povão mesmo – sabe votar.

Mas, pra não dizer que apenas as profissões mais simples estarão protegidas, a classe médica também elegeu seu deputado: Dr. Ogando (que, numa fala rápida, pode ser chamado de ‘Drogando’).

Quando deu meio-dia, nossos deputados estavam morrendo de fome. Foi então que Paulo Gulosinho, Fernando do Comilão, Jorge Barriga, Papinha, Manteiga, Camarão, Feijão, Filé, Ludivan Batata, Nelson Cebola, Salathiel Salada, Uzia Mocotó e Valdecir da Batata Frita se manifestaram, lembrando que, para comemorar, todos poderiam seguir para o estabelecimento do colega eleito Otávio do Churrasco. A alegria foi geral!

Já no restaurante, os nobres deputados resolveram tirar a tarde de folga e promover um arrasta-pé no local. E, como vivemos numa democracia, não houve briga quando as carrapetas foram divididas por DJ Clovão, MC Geleia e Amarildo do Samba. Gustavo Tutuca, Jussara Hu Hu e Maria Chupetinha requebraram até o chão!

Fim de tarde, o pessoal começou a dispersar. Mas não sem antes aceitar a sugestão de Geraldo Pudim, Xoquito, Messias o Garoto Bombom, Mulher Melão, Miguel Banana e André Banana para comer as sobremesas.

Na hora da despedida, Bicho de Pé Já É dizia seu jargão pros caros colegas: “Aê, já é, galera! Tamo junto até 2014!

Jorge Bombril concordou: “Tamo junto mermo! Pra mil e uma utilidades!

Vicente Sorriso saiu da churrascaria mostrando os dentes brancos pra alguns paparazzi que flagraram a farra dos deputados eleitos.

E Sergio Esperança foi o último a partir, deixando no ar a sensação de que a esperança de um Brasil melhor é a última que morre...

Nota da blogueira: Todos esses nomes foram tirados da listagem de candidatos que concorrem à vaga de deputado estadual no Rio de Janeiro. Minha pretensão não foi agredir ou desmoralizar qualquer candidato, os quais sequer conheço as trajetórias profissionais e políticas. Quis apenas exercitar minha liberdade de expressão e fazer uma brincadeira com a diversidade de candidatos. Por favor, peço que os nomes citados não se sintam ofendidos!

18 comentários:

Fernando Freire Jr. disse...

Antes de mais nada, não se desculpe por citar os nomes deles. Seu texto foi de humor e viva o humor sem censura! O que você fez foi simplesmente genial! De forma caricata foi retratado mais ou menos o que deve se passar em boa parte das sessões e pelos corredores das assembléias legislativas desse Brasil. Pessoas erradas, eleitas para os cargos errados, por pessoas que erram por falta de informação ou por pura galhofa - vide o líder das pesquisas Tiririca! Juro que queria acreditar numa melhora, mas não consigo ver isso. Não nos próximos 10 anos e isso me entristece profundamente. Ver que mesmo com toda a imprensa divulgando fatos e informações o povo ainda não leva o processo a sério. Eu juro que amo esse país e mais ainda esse povo que sabe levar a vida numa boa como nenhum outro no planeta. Mas tb juro que não entendo ambos. Seja o que Deus quiser...
Bjs!

Fernanda disse...

Sensacional!!!
Adorei, Ana!!! Muito divertido.
Temos mesmo que fazer piada do momento político que o Brasil atravessa.
Beijosss

Raquel disse...

Só digo uma coisa... Que merda de país! Amor e ódio estão próximos. Amo esse lugar sagrado, belo, de alma boa. Mas odeio essa gentinha que simplesmente vota por camaradagem e não tem noção e nem quer ter do que é política e a importância disso no futuro de gerações.
Os colégios dão aula de cidadania mas não dão aulas de política? Todos os anos de colégio tinham que que ensinar sobre a história política do nosso país, no mundo, e das influências sobre nossas vidas e escolhas. Mas não.
Nego leva na sacanagem, nego leva na risada, e a politicagem escrota desse Brasil, a corja imunda acha o máximo. Quanto mais cordeiros, mais facilidade de iludir o sujeito que ao mesmo tempo se auto ilude.
O sentimento é de raiva e pena de ler esses nomes. Ficha limpa, cultura e inteligência não são pré requisitos para o vagabundo se candidatar. Caráter então, nem se fala, daqui a pouco cai até em desuso a palavra e sai do dicionário.

Isso aí Ana, debocha dessa história política horrorosa nossa!
Saudades!

Raquel Maldonado

millah ♥ disse...

rsrs mt legal mãe

Marcia disse...

Aninha,adorei.É a pura verdade,e o seu texto ficou maravilhoso. Parabéns!!! Bjosss!!!

ira disse...

Ouvi pelo rádio um tal de Pastor Goes, cuja proposta é encaminhar todos os jovens drogados para JESUS" Meu filhinho questionou; Será que serão exterminados?
Aí no Rio de Janeiro mostram a tal que pede o voto com prazer? o final de seu número é 69" Não dá mesmo para levar a sério este festival de baboseiras. Excelente texto. Belo conteúdo para boas risadas! Mas não se preocupe com o que os citados vão achar, provavelmente são como o Tiririca, não sabem "LER"
beijinhos

Mattosquela disse...

Ana muito booooom!!!!

TBrigada disse...

Genial, Ana.
Fiquei estarrecido quando, ao fim do texto, tomo conhecimento que todos aqueles personagens são, de fato, candidatos desta eleição.
Esse texto (e essas alcunhas) só demonstram a derrota deste sistema político. Só mostram, também, como que o modo de governo republicano e federalista está mal das pernas.
Particularmente, não tenho mais interesse na política. Ao menos nesta "pequena política" - esta de cargos, eleições e pseudos-progamas de governo, de propostas partidárias.
Preocupo-me com a "grande política", aquela ligada a ideologia. Mas é tão difícil lidar com ela, pois o mundo a engoliu já há mais de meio século.

meuuniversoparticular disse...

Aninha! Amei seu texto! Aliás amo tudo que você escreve... Sou sua fã!

Regina Paranhos disse...

Ana,no meu blog postei o texto "Debates Eleitorais" q vc conhece.Só digo o seguinte:cada povo tem os candidatos q merece.Seu texto é uma previsão eleitoral.Bjs da regina

Anônimo disse...

Hahahaha, sensacional Ana! Os caras querem criar nomes grudentos e fáceis... Mas vira um caos, rs.

Aloísio Aguiar (via Twitter)

Janaína disse...

O nosso Brasil é aquele país "do futuro", tenho esperança e FÉ que isso é só um momento...
Melhor eu acreditar nisso.
rs

Falta só o Básico pra gente,
ou seja, aquilo que nossos candidatos esqueceram... O RESPEITO, né?
Beijos, meu voto é seu !!!!

Luiz Fernando Prôa disse...

É Ana, "a esperança de um Brasil melhor é a última que morre...", por isso vou votar num dos primeiros que você citou, o Eu Faz.

Apesar da concordância verbal, está na hora de cada um fazer sua parte. Nossa indiferença e analfabetice política (lembrando o poema de Brecht, o Analfabeto Político), está legando a nossos filhos e netos um país de merda.

Daí a necessidade de acordarmos e lutar, cada qual com suas armas, para que essa bandidagem de terno, gravata e diploma eleitoral, não continue "fazendo" enquanto nos omitimos.

Eu "faz" deverá ser nosso lema daqui para frente, se quisermos não ter vergonha de olhar para as gerações futuras, e com o risco de sermos chamados de analfabetos humanos. Está faltando humanidade e sobrando braços cruzados.

Como citei o poema, vou deixá-lo no final para "nós le", quem sabe "nós aprende".

Adorei sua crônica, seu bom humor sempre se reflete nos textos do blog. Em falar nisso, adorei quando o Plínio de Arruda Sampaio falou: "Meus adversários na campanha dizem que sou engraçado. Na verdade, eles são a grande piada."

Beijo,

Luiz

O Analfabeto Político
(Bertolt Brecht)

O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.

(escrito na primeira metade do século XX)

Luiz Fernando Prôa disse...

É Ana, "a esperança de um Brasil melhor é a última que morre...", por isso vou votar num dos primeiros que você citou, o Eu Faz.

Apesar da concordância verbal, está na hora de cada um fazer sua parte. Nossa indiferença e analfabetice política (lembrando o poema de Brecht, o Analfabeto Político), está legando a nossos filhos e netos um país de merda.
Daí a necessidade de acordarmos e lutar, cada qual com suas armas, para que essa bandidagem de terno, gravata e diploma eleitoral, não continue "fazendo" enquanto nos omitimos.

Eu "faz" deverá ser nosso lema daqui para frente, se quisermos não ter vergonha de olhar para as gerações futuras, e com o risco de sermos chamados de analfabetos humanos. Está faltando humanidade e sobrando braços cruzados.

Como citei o poema, vou deixá-lo no final para "nós le", quem sabe "nós aprende".

Adorei sua crônica, seu bom humor sempre se reflete nos textos do blog. Em falar nisso, adorei quando o Plínio de Arruda Sampaio falou: "Meus adversários na campanha dizem que sou engraçado. Na verdade, eles são a grande piada."

Beijo,

Luiz

O Analfabeto Político
(Bertolt Brecht)

O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.

(escrito na primeira metade do século XX)

Luiz Fernando Prôa disse...

É Ana, "a esperança de um Brasil melhor é a última que morre...", por isso vou votar num dos primeiros que você citou, o Eu Faz.

Apesar da concordância verbal, está na hora de cada um fazer sua parte. Nossa indiferença e analfabetice política (lembrando o poema de Brecht, o Analfabeto Político), está legando a nossos filhos e netos um país de merda.

Daí a necessidade de acordarmos e lutar, cada qual com suas armas, para que essa bandidagem de terno, gravata e diploma eleitoral, não continue "fazendo" enquanto nos omitimos.

Eu "faz" deverá ser nosso lema daqui para frente, se quisermos não ter vergonha de olhar para as gerações futuras, e com o risco de sermos chamados de analfabetos humanos. Está faltando humanidade e sobrando braços cruzados.

Como citei o poema, vou deixá-lo no final para "nós le", quem sabe "nós aprende".

Adorei sua crônica, seu bom humor sempre se reflete nos textos do blog. Em falar nisso, adorei quando o Plínio de Arruda Sampaio falou: "Meus adversários na campanha dizem que sou engraçado. Na verdade, eles são a grande piada."

Beijo,

Luiz

O Analfabeto Político
(Bertolt Brecht)

O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.

(escrito na primeira metade do século XX)

Luiz Fernando Prôa disse...

É Ana, "a esperança de um Brasil melhor é a última que morre...", por isso vou votar num dos primeiros que você citou, o Eu Faz.

Apesar da concordância verbal, está na hora de cada um fazer sua parte. Nossa indiferença e analfabetice política (lembrando o poema de Brecht, o Analfabeto Político), está legando a nossos filhos e netos um país de merda.

Daí a necessidade de acordarmos e lutar, cada qual com suas armas, para que essa bandidagem de terno, gravata e diploma eleitoral, não continue "fazendo" enquanto nos omitimos.

Eu "faz" deverá ser nosso lema daqui para frente, se quisermos não ter vergonha de olhar para as gerações futuras, e com o risco de sermos chamados de analfabetos humanos. Está faltando humanidade e sobrando braços cruzados.

Como citei o poema, vou deixá-lo no final para "nós le", quem sabe "nós aprende".

Adorei sua crônica, seu bom humor sempre se reflete nos textos do blog. Em falar nisso, adorei quando o Plínio de Arruda Sampaio falou: "Meus adversários na campanha dizem que sou engraçado. Na verdade, eles são a grande piada."

Beijo,

Luiz

O Analfabeto Político
(Bertolt Brecht)

O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.

(escrito na primeira metade do século XX)

Roger Gorini disse...

Sensacional, Prõõõõõõõõõõaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
E notícia de primeira mão para vc e seus maneiríssimos seguidores: a cidade de Cabo Frio, apesar de ter metade de seus eleitores em áreas mais carentes, ou seja, podendo ser assistida pelos bolsa-esmola, teve como vitoriosa na apuração para presidente MARINA SILVA, com quase 50%!!!!!! Ou seja, ainda há esperança que o voto consciente supere as palhaçadas eleitoreiras, como o federal mais votado do país, Tiririca..... Beijos no teu coração, mana!

Anônimo disse...

Ana, muito bom mesmo! Atual, criativo, com boa dose de humor e satira. Parabéns! Bjs Sandra